Um olhar (que se pretende) diferente sobre as coisas, num mundo em que muitas vezes nos sujeitamos à ditadura do politicamente correto. Não diferente só por ser diferente mas por ser pertinente.
10 de Julho de 2017

para os anúncios a suplementos alimentares de cálcio, tome Paciêncitrim. Paciêcitrim, o suplemento para a manutenção da paciência!

paciencitrim2.jpg

 

publicado por urreivainu às 15:42
29 de Dezembro de 2016

Vem-me à memória uma imagem de uma colectânea humorística de livros (que aproveito para, desinteressadamente, recomendar - À boleia pela galáxia) onde se descreve a arte de voar como o dom de se atirar para o chão e falhar. Falhar completamente.

As pessoas são bastante assim. Dizem uma coisa e fazem outra. Outra completamente diferente.... É com cada falhanço....

publicado por urreivainu às 11:25
05 de Outubro de 2015

Ontem foi dia de grande alegria eleitoral. Todos ganharam.

- A coligação PAF teve mais votos e elegeu mais deputados.

- O PS reclama vitória ao conseguir que coligação não tenha maioria absoluta, e ganhou importância no parlamento.

- O Bloco de Esquerda teve uma estrondosa vitória, duplicando o número de deputados.

- A CDU teve uma vitória ao eleger mais um deputado….

- PAN, já tinha ganho por ultrapassar a fasquia dos 50000 votos (que dão direito a subenção estatal), ganhou também ao eleger um deputado...

Mas afinal alguém perdeu?

(artigo inpirado nos discursos pós eleitorais. Se fosse pelos semblantes diria que apenas o PAN e o Bloco tiveram efusivas vitórias....)

publicado por urreivainu às 13:06
28 de Agosto de 2015

Há uma realidade no mercado* laboral português que muito me entristece e inclusivé revolta. Por essa realidade (e por esta e por esta o meu desagrado e ceticismo estende-se às pessoas que nos governaram nestas últimas décadas, muitos deles com emprego por convite pessoal, seja público ou privado, e que não passam pela realidade de responder a anúncios e dos processos de recrutamento.

A realidade de que falo transparece logo no anúncio de emprego. É normal nos anúncios de emprego nacionais pedir-se uma série de requisitos (o abaixo nem é dos piores), e um perfil que aponta para que o candidato já traga toda a formação necessária (investimento zero ou quase zero na pessoa), uma vez mais o abaixo nem é dos piores… Por outro lado quantas linhas se reservaram no anuncio para o que a empresa oferece? Nenhuma. Zero. Parece que o interesse em aliciar um (bom?) candidato é nulo. Queres assim queres, não queres…. Isto está latente em mais de 90% dos anúncios de emprego portugueses…. Salário? Benefícios? Regalias? Nada… E é uma empresa de “desenvolvimento do indivíduo e no enriquecimento das Organizações”. Olha se não fosse…

 

Assistente administrativo e financeiro (M/F)
xxx- Lisboa

A xxx encontra-se a recrutar um Assistente Administrativo e Financeiro (M/F) para integração na sua equipa.

Somos uma consultora de recursos humanos, focada no desenvolvimento do indivíduo e no enriquecimento das Organizações, por via da melhoria das competências, aquisição da capacitação individual e grupal, e do aumento da eficácia e eficiência dos processos e sistemas organizacionais.

Local de trabalho: Lisboa

Responsabilidades:

- Apoio à Direcção Financeira;

- Expediente geral de escritório;

- Apoio à facturação;

- Apoio no processamento de despesas;

- Suporte na preparação e organização de documentos para envio para a contabilidade;

Perfil:

- Formação na área de Finanças, Contabilidade, Gestão ou outra relevante;

- 2 a 3 anos de experiência profissional em funções semelhantes;

- Conhecimento de software(s) de facturação;

- Autonomia e dinamismo;

- Capacidade de organização;

- Capacidade de análise e raciocínio lógico;

- Orientação para resultados;

- Capacidade de gestão do stress;

- Disponibilidade imediata.

 

*mercado muito imperfeito, cheio de protecionismos, com pouca mobilidade e onde um dos intervenientes tem claramente mais força do que outro...

 

mais sobre o assunto: http://ganhemvergonha.pt/

 

publicado por urreivainu às 15:10
25 de Fevereiro de 2015

Dois polícias foram colhidos por um comboio tendo morrido no local. Tivessem sido, nas mesmas circustâncias, trucidados dois assaltantes oriundos de algum bairro de má reputação teríamos problemas. E não fossem brancos seria sem dúvida  racismo. Haveria tumultos no bairro, incendiar-se-iam coisas. Mas foram dois polícias. Azaritos. Não há problema algum.

publicado por urreivainu às 18:30
02 de Setembro de 2014

Acho que todos nós, muitas vezes, vemos o que queremos. Nomeadamente que antigamente é que era, havia mais respeito e as coisas eram melhores. Esta reportagem é engraçada. cheia de deferências balofas e elogios vazios. Portugal era em 1903 um país onde apenas cerca de 20% das pessoas sabiam ler. Tinha das mais altas taxas de pobreza europeias, excelentes recursos que não utilizava e uma economia grandemente assente numa agricultura de subsistência onde muitas pessoas trabalhavam (serviam) meramente a troco de comida e tecto.

http://150anos.dn.pt/2014/08/20/a-visita-de-eduardo-vii-ao-seu-primo-d-carlos/
publicado por urreivainu às 18:15
16 de Julho de 2014

Dentro dos vários géneros literários, os contos não serão com certeza o meu preferido. Não é dessas histórias que vos quero falar mas sim do relato de acontecimentos reais. Hoje em dia temos pouco tempo para histórias. O jornalismo é o que é, pobre e mal pago, e as notícias enlatadas, breves, vazias. Os restantes conteúdos que vemos na TV ou ouvimos na rádio, pecam pela mesma insipidês, muito fogo de vista, pouco conteúdo. Não são para nos fazer pensar. No entanto há excepções. Aqui ainda se ocupa tempo a contar histórias. A transmitir conhecimento fora da atualidade do dia, do enlatado, do comunicado de imprensa. Que bom. Que refrescante.  

 

http://www.tsf.pt/Programas/programa.aspx?content_id=903681&audio_id=4029201

 

Lembrei-me de escrever este post ao ouvir esta, pese embora oiça a rúbrica há algum tempo e fique, por vezes, no carro já estacionado à espera que termine.

publicado por urreivainu às 18:20
13 de Março de 2014

Em Portugal (o poder público) não se previne, remedeia-se. Remenda-se. Faz-se a coisas por entusiasmo, seja eleitoralista ou outro, faz-se impensadamente (ou pensado em interesses que não o público) e depois logo se vê. Quem vier a seguir que feche a porta, que pague, que resolva a dívida. O triste é que sempre foi assim.... Mesmo as oposições mais extremistas abarcam em projectos orelhudos e populistas (acabe-se com as comissões bancárias, direitos dos homossexuais a afins...) mas não se vê ninguém a fazer seu cavalo de batalha um plano oficial de contabilidade público mais rigoroso, orientado pelos princípios que se exige às empresas privadas, nem a responsabilização pessoal pelos desvios e desvarios com dinheiros públicos. O tribunal de contas vai noticiando as sucessivas incúrias e não acontece nada.... 

 

Vejo muito do portugal de hoje em dois artigos que li esta semana:

http://expresso.sapo.pt/reestruturacao-da-divida-se-correr-o-bicho-pega-se-ficar-o-bicho-come=f860263

100 anos depois: http://www.dinheirovivo.pt/Economia/Artigo/CIECO329052.html?page=0

 

As perspectivas não são boas e enquanto esta gente (a nossa gente, NÓS) nos governar não me parece que a lógica mude muito. Quem está na oposição só pensa em conquistar o poder. Exige todas as facilidades, promete dar tudo. Quem exerce, tira à classe média, aos que não podem fugir, não incomoda os poderes instalados e assegura o seu futuro... E assim vão alternando. TODOS. Falámos mal da Troika, da Merkel, dos alemães, deste e daquele lá de fora (porque é mais fácil) mas os países deles não têm o nosso défice, não precisam de intervenção externa e por isso conduzem as suas políticas (PORQUE PODEM) com maior credibilidade, menos austeridade, menos desemprego e MELHORES RESULTADOS. 

 

Deixo aqui para memória futura: O próximo órgão de poder a ficar insolvente, é aquele que agora esbanja dinheiro, o que tem e o que não tem, são as Juntas de Freguesia. É ver as obras que estas estão a fazer. Remodelam-se pracetas que eram funcionais, mudam-se estradas que funcionavam bem, arranjam-se passeios que ninguém usava nem usa, remenda-se todos os anos os mesmos buracos duas vezes por ano, etc.... As juntas de freguesia são as próximas "Câmara Municipal de Lisboa" e de Vila Nova de Gaia em termos de buraco financeiro.... 

 

publicado por urreivainu às 10:55
mais sobre mim
Julho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
Posts mais comentados
pesquisar neste blog